Parabéns mamães :)

Nós somos uma liga que desde o início recebeu muitas mães, acolhendo também os seus filhos – de 0 a 20 anos. Esse acolhimento é super necessário para a participação delas e elas nunca foram coadjuvantes, sempre batalharam e dividiram suas funções para poder estar ali e contribuir.
Nosso muito obrigado por todas as mães que dão seu toque diferenciado e aquele ar de família aos nossos treinos e encontros fora do contexto do roller derby.
Parabéns mamães ❤
——–
No gif nossa primeira gralhinha nascida no ninho, a Thaís, filha da Tati e irmãzinha do Samuel.
//giphy.com/embed/3o6EhMxRvSBZM38oAU

 

Feliz dia das mães s2

Feliz dia das mães para todas as nossas mamães gralhas e as mamães rollerderbycas desse Brasil!

Sendo mais que sua própria heroína: as mães no roller derby

“- Ah, vou só pra conhecer, achei interessante e queria voltar a andar de patins, mas não tenho tempo e nem quem fique com minha filha.”

É assim que começa e, entre idas e vindas, você nunca mais consegue sair.

Desculpas como “falta de tempo”, pra não fazer determinada coisa, todos temos nos dias acelerados de hoje. É trabalho, estudo, família, amigos, lazer, viagens. É mesmo difícil conciliar uma vida com treinos, reuniões e estudos de roller derby com a vida de qualquer mulher independente.

Agora, junte a tudo isso o fato de que ela é mãe.

Junte a tudo isso o fato de que ela embora divida bem o seu tempo e nunca falte seus compromissos, em primeiro lugar SEMPRE virá o seu filho.

E junte mais a tudo isso o fato de que se ela está praticando roller derby é porque seu filho permitiu. Sim, ele tem que permitir, apoiar, vibrar.

 

Se você é mãe e pratica roller derby, você é mais que sua própria heroína, você é a heroína dele – o que é muito mais importante!

 

DC VS Marvel Roller Derby: Wonder Woman/Ms Marvel by kevinbolk

DC VS Marvel Roller Derby: Wonder Woman/Ms Marvel by kevinbolk

 

Ser um modelo para seu filho todas as mães são, quer queiram [e mereçam] ou não. Mas, ser mãe e praticar um esporte dinâmico, que envolve muita agilidade e força física, literalmente a torna uma heroína para seu filho. Ele nunca tinha te visto assim: tão rápida, tão forte e tão feliz. Ele vai adorar o que você faz; vai adorar seu derby name; vai adorar ir aos treinos com você – principalmente se você ensinar sobre o esporte a ele. Ele vai querer ser como você é na pista; vai querer patinar como você; e o melhor: vai ter a melhor professora de todas!

 

E até onde você vai conseguir chegar?

Não importa. As vezes chegamos no nosso limite e precisamos dar um tempo. As vezes nosso filho vai começar a preferir ficar em casa, ele quer sua atenção só pra ele e você terá de dar essa atenção. São crianças, precisamos respeitar o limite delas. E não é ruim deixar o derby para ficar com os filhos, as vezes é necessário e você vai ficar feliz do mesmo jeito e ele também, pois terá a melhor companhia do mundo. E, se depois de um tempo, quiser voltar, seu time te receberá de braços abertos dizendo “que bom que estamos juntas de novo”!

 

10d4632361d665cad60256db5c5b367f

 

Um intervalo com uma pequena história antes de continuarmos.

Conheci o roller derby em 2011, por intermédio de um amigo, vulgo Diéquison [beijo!!], que trabalhava com alguém [nossa Xuxa Blocker!] que fazia um esporte “diferente” sobre patins. Na época eu queria comprar um inline justamente para patinar com a minha filha. E foi como iniciei o texto: “não tenho tempo, não tenho ninguém pra ficar com minha filha, não dá, mas vou assistir um treino”. O que aconteceu foi que ela gostou tanto de fazer algo diferente comigo que peguei a grana que tinha guardado para viajar com meus amigos “Deartes” [eles devem me odiar até hoje por ter comprado esses patins! ] e em um mês eu já tinha comprado meu quad e no mês seguinte ela ganhou o dela de natal. Eu ainda continuo com meu primeiro quad, embora ela já esteja no seu terceiro, afinal o pé dela cresce, o meu não mais – prioridades! Nos afastamos dos treinos por duas vezes nesse tempo, em que chegamos aos limites, dela e meu. Atualmente ela nem sempre vai aos treinos, ela também já tem seus compromissos – além de que agora tenho com quem contar e dividir as obrigações [beijo amor <3], mas ela irá ao seu primeiro evento de roller derby este ano comigo e está contando os dias!

 

Esse resuminho da minha vida de mamãe derby é para mostrar que não conseguimos separar o que somos do que fazemos. Antes de ser qualquer coisa, sou sempre mãe e tudo se constrói a partir disso. Nunca fui a única mãe na Blue Jay Rollers, sempre tivemos nossos filhos nos treinos e nunca tivemos problemas com isso. Tudo é uma grande família e, se não for assim, não acontece.

Não somos coitadinhas e nem vitimadas, pelo contrário, estamos aqui para mostrar o quão forte somos e que podemos fazer qualquer coisa que quisermos! Este documentário abaixo foi bem importante pra mim no início, pois me senti acolhida, vi que nesse esporte realmente existia um lugar pra mim e que se eu quisesse parar “ok, estou perdoada”.

E uma coisa é certa nisso tudo: você pode até sair do derby, mas ele nunca sairá de você!

 

Jaypira #83