O corpo feminino no Roller Derby

[Estamos retomando aqui alguns textos escritos pelas gralhas! Esse é da Jaypira, escrito para a série de postagens que fizemos para o 8 de março de 2015 🙂  ]

 

Em comemoração ao Dia Internacional da Mulher, dia 08 de março, a CWB Force publicará diariamente textos e/ou imagens com referência as derby girls!

Nosso primeiro post fala de um dos principais motivos pelo qual o roller derby cresceu e ainda cresce de forma surpreendente conquistando tantas adeptas: o corpo feminino aceito no esporte.

Você já deve ter ouvido falar que no roller derby não há preconceito e que todos os tipos físicos tem seu lugar, mas por quê?

 

Seja alta, magrinha, gordinha ou baixa você pode começar a treinar. Sabendo ou não patinar, isso não é motivo para não começar. Nunca praticou exercício? Também não é um empecilho. Existem níveis de cada jogadora classificados em iniciante, intermediário e avançado. A iniciante começará primeiramente a se habituar com os patins e seu peso e com o seu corpo e seu ponto de equilíbrio. E, depois de algumas habilidades conquistadas, começa a mudar de nível até estar apta a participar de um treino de contato e, posteriormente, um jogo.

 

Tá mas e os tipos físicos?
Bem, convencionalmente, pode-se dizer que meninas baixas e magras são mais ágeis e dariam boas jammers furando qualquer wall. Mas também tem a alta e magra que pode dar umas poucas e boas passadas e também ser uma ótima pontuadora. Enquanto isso meninas mais fortes e gordinhas podem ser as bloqueadoras mais temidas. Mas atenção: NADA DISSO É UMA REGRA. Em um dado momento do jogo, talvez uma jammer mais gordinha seja importante para conseguir passar por um bloqueio adversário muito forte, da mesma forma que uma bloqueadora magra e ágil possa frear a jammer adversária. O importante é dizer que NINGUÉM chega em uma liga com seu local no track pré-definido. Tudo dependerá do seu desempenho e suas habilidades, não as mínimas que todas devem ter, mas das suas habilidades enquanto sujeito e como as desenvolveu. Também é legal dizer que existem bloqueadoras que não gostam de ser jammer, e vice-versa, se adaptaram bem a uma função apenas, mas também existem jogadoras que jogam nas duas posições tranquilamente e são “aproveitadas” em um jogo dependendo da necessidade do time em uma função ou outra.

Pensando nisso, o fotógrafo Cory Layman está desenvolvendo um projeto com uma série de fotos intitulada Body by Derby, na foto abaixo estão as meninas da liga Southern Illinois Roller Girls. Confira o trabalho dele nos links e perceba que você também tem um lugar no roller derby!

https://www.facebook.com/TheRollergirlProject

https://www.flickr.com/photos/claymanphotography/

 

Jaypira #83

 

By Cory Layman

By Cory Layman

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s